2 de nov de 2009

Papeando com Fernando Leão



Fernando de Oliveira Leão, é jornalista (DRT SC 01348 – JP) formado pela Univali (Itajaí/SC), produtor independente e professor nos cursos de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda da Facvest – Faculdades Integradas Univest – Lages/SC.
Especialista em Novas Mídias, Rádio e TV (Furb – Blumenau). Diretor da recente ficção Guerra de Sombras (exibido no projeto ‘Curtas Catarinenses’ da RBS TV estadual 207), do documentário Coxilhas (exibido no projeto ‘SC em Cena’ da RBS TV estadual 2008) e do documentário O Chão de Minha Terra: A Vida de Nereu Ramos (exibido no projeto ‘SC em Cena’ da RBS TV estadual 2009).
Experiente em documentários audiovisuais e telejornalismo, participou de programas de televisão, assim como de cursos de cinema e em Festivais de Cinema do país (como o de Gramado) e Internacionais (JVC Tokyo Vídeo Festival). Trabalhou dois anos na TV Univali (Itajaí/SC) como editor de VT e produtor (2003/2004).



Papoderp: Além de lecionar que outras atividades você executa atualmente?
Trabalho com produção independente de cinema, vídeo e televisão.
Papo de RP: Como é lecionar para turmas de comunicação?
Um trabalho prazeroso, mas de alta responsabilidade, afinal de contas tudo aquilo que você estudou, produziu, aprendeu deve ser repassado dentro dos limites das disciplinas para os acadêmicos. E já fazem quatro anos que estou nessa.
Papoderp: Qual a importância do audiovisual como ferramenta para os profissionais de comunicação?
Trazer relação de identificação com o público-alvo. O que é visto e ouvido diretamente traz uma possibilidade de recepção fabulosa. E hoje com as ferramentas online, como os sites de realcionamento, blogs, videologs, e-mails, tudo ficou mais facilitado na hora de divulgar conteúdo.
Papoderp: Como surgiu a idéia de fazer um documentário sobre a vida de Nereu Ramos?
Uma figura de renome regional, nacional e internacional não havia recebido nenhuma produção a altura de um projeto de documentário audiovisual para Tv aberta. Falar dele é falar de Lages, do Brasil e de nossa gente. Assim a ideia surgiu a partir de um estudo que a pesquisadora e historiadora estava fazendo sobre a elite lageana do início do século XX e suas relações com os estudos e formação.
Papoderp: Porque vocês procuraram alcançar o público jovem?
Falar de um tema como política é sempre um desafio para produtores audiovisuais. Não queríamos algo que soasse enfadonho e carregado. Quem deve muito bem conhecer estas histórias são estes futuros formadores de opinião, pessoas que darão continuidade as nossas obras, nossa região e nossas próprias histórias.
Papoderp: Você tem interesse em ter um profissional de Relações públicas trabalhando na sua equipe?
Mais pra frente com certeza. É que por enquanto temos uma equipe reduzida e como sou jornalista, faço também o meio de campo com a parte de assessoria e divulgação, mas ter um profissional atuando em cada função é uma meta a se alcançar assim que os projetos forem tomando corpo e condições financeiras para serem realizados.

Papoderp: Quais os Planos para o futuro ?
Trabalhar em novas obras que tenham como característica falar da nossa região serrana aqui de Santa Catarina. É uma decisão de vida. Desde que voltei para Lages, minha terra natal, em 2005.
Papoderp: Deixe um recado.
Convido a todos os interessados para a exibição aberta e gratuita, que acontecerá na Semana de Lages, no dia 14 de novembro às 20h, no Memorial Nereu Ramos – Centro. Será apresentada a versão estendida do documentário O CHÃO DE MINHA TERRA: A VIDA DE NEREU RAMOS, com direção minha e do Diego Lara. Fotografia de Flavio Roberto e pesquisa de Sara Nunes.
A Equipe Papoderp.com agradece a disponibilidade, interesse e atenção do Fernando Leão em aceitar o convite e participar desta importante troca de conhecimentos
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário